Controlo de Iluminação

Sistemas de Controlo de Iluminação

Na procura recorrente de uma gestão energética cada vez mais eficiente, a EEE coloca ao serviço dos seus clientes e parceiros o departamento de Sistemas de Controlo de Iluminação. Este departamento disponibiliza assessoria especializada na área, assim como um conjunto de soluções adaptáveis às necessidades dos diferentes e mais diversificados projetos de iluminação. Para a EEE, o conceito de Sistema de Controlo de Iluminação não se resume à simples condição de um conjunto de equipamentos ad hoc, mas sim uma solução devidamente fundamentada, tendo em conta os vários aspetos que envolvem o projeto, nomeadamente a iluminação natural, movimento, controlo e/ou monitorização e sempre numa vertente economicista. A atuação do departamento pode ainda evoluir para uma intervenção em obra, através da programação e configuração dos sistemas aplicados. Os sistemas apresentados são sempre, como referido anteriormente, adaptáveis às especificidades do projeto final, todavia, não deixam de ser transversais a um inúmero conjunto e situações atuais.
Controlo de Iluminação
  • CONCEITO DESENVOLVIDO PARA UTILIZAÇÃO EM CORREDORES
    Pelo facto de serem eletrónicos, é possível dotar os balastros de tecnologia que lhes permite uma adaptação adequada a determinadas situações. O funcionamento nos corredores é uma das mais vulgares, em que, recorrendo a um detetor de movimento, as lâmpadas só serão ligadas na presença de movimento.

    MODO DE FUNCIONAMENTO
    O corridorFUNCTION recorre a detetores de movimento convencionais, mas o que o distingue dos demais é a possibilidade de criar um comportamento de iluminação confortável, utilizando a regulação do fluxo, evitando assim o ligar e desligar abrupto associado às instalações convencionais.

    ASPETOS IMPORTANTES
    Apesar de o conceito estar desenhado para corredores, pode perfeitamente aplicar-se noutras situações, inclusive em áreas onde, por uma questão de segurança, é necessário existir iluminação permanente, tais como, passagens pedestres, paragens de comboio subterrâneas, multibancos, edifícios públicos, hospitais, entre outros. Isto só é possível porque o balastro pode ser programado para reduzir o fluxo a um determinado valor, em vez de desligar, gerando poupanças significativas, sem nunca prejudicar a segurança do espaço.